amor vs ciúme

Já tentei definir o sentimento abstracto que todas as pessoas desejam sentir intensamente na sua vida - o amor, mas não consigo por palavras fazê-lo. Não consigo expressar o que é amar, como me sinto bem e realizada quando tenho ao meu lado aquela pessoa que me põe a sorrir, que me faz corar com simples palavras, que me entende, que me faz vibrar com um sussurro ao ouvido, que me hipnotiza com um olhar, não sei explicar. O amor é um sentimento particular e próprio de cada um, cada um ama á sua maneira, do seu gosto, talvez o expresse mais, talvez menos, mas não deixa de amar.
Por vezes, torna-se tudo tão intenso e tão desejado que só queremos que a pessoa amada fique ali connosco, que nos aperte com força, que nos dê um boliscão para sentirmos que não é um sonho, que nos ame para sempre que nos envolvemos tanto com ela ao ponto de não a querermos deixar ir embora, agarrando-a a nós, ao nosso íntimo, ao nosso amor, não querendo que ela nos deixe ali no escuro, sozinhos. O medo de a perder é tanto que nos esqueçemos de nós mesmos perdendo-nos em nós e é aí que ela sente a nossa falta, o nosso carisma, o nosso encanto e então perde-se e vai-se, ás vezes para sempre, outras vezes apenas descansa para continuar a amar e desta vez com mais força. E acreditem que quando nos perdemos, não há maneira de satisfazer o outro. Lembrem-se, a maior parte das vezes, a outra pessoa não nos exige nada, só quer que amemos tanto quanto ela nos ama, não nos pede mais que isso, por isso não se sintam na obrigação de fazê-lo á força, amem apenas, vivam o amor, sintam-no. Ma também é verdade que quando fazemos algo para a pessoa que gostamos é algo natural e nos dá imenso prazer, e é assim que tem de ser, tudo natural e espontâneo.
Faz, dá sem esperar recompensa, mesmo que a queiras. Faz porque queres, não porque queres que te façam. Já ouvi dizer que o amor sufoca, mas isso só acontece quando perdemos o nosso amor próprio, quando nos preocupamos como será o dia da perda e não vivemos o momento, aí sim, cansa, sufoca e acaba por esgotar.
Aquele amor que se gera a partir da atracção física, é erro, não funciona, não tem alcance, começa do nada e com nada termina. Há também aquele amor aventureiro que se pode comparar ao mendigo que anda á chuva, com tempestade e não se quer molhar. Também conheço aquele amor que vai surgindo, começa na amizade e vai surgindo, pouco a pouco, cada coisa no seu lugar, no momento certo, tal como o mendigo que se prefere abrigar dos raios, da tempestade e da chuva e sair apenas quando a chuva suave cair.
Parece tudo muito bonito, e é. Se amas, deixa o outro viver, não te consumas pelo ciúme, o outro não vive angustiado e tu não vives, preocupada, sem motivos muitas vezes. Estar alerta e atenta, não é ser  possessiva, calma, ele ou ela ama-te. Não há mais nada a dizer, como diz o meu professor de Geografia A, ' tudo o que é demais, enjoa'. É simples, vive o momento.

8 comentários:

  1. RuteRita disse...:

    está LINDOOO. mesmo muito
    muito obrigada minha querida Joana

  1. RuteRita disse...:

    oh es uma querida

  1. SUGARminnie disse...:

    Não são precisas palavras, esta dor que os meus olhos transmitem já diz muito ;x

  1. SaraGomes disse...:

    ainda bem que gostas-te querida (:

  1. Isabel disse...:

    Gostei muito do texto (:

Postar um comentário